Sabia que é possível vender consórcio de educação?

12/9/2019
Consórcio

Nos últimos anos as instituições financeiras começaram a liberar mais crédito para financiamentos estudantis. Tem aumentado o índice de alunos do ensino médio que já buscam uma opção de estudo de graduação. Como nem sempre as mensalidades cabem no bolso, muitos recorrem a esse financiamento como forma de concretizar o sonho de ingressar no ensino superior.

Mas, será que todos realmente conhecem todas as possibilidades de investir nos estudos?

Dentro do consórcio de serviços, também é possível investir especificamente em educação.

Com cartas de R$ 15 mil a R$ 30 mil, que podem ser divididos entre 20 e 40 mensalidades, os consumidores podem se organizar o quanto antes para pagar escola particular, faculdade, pós-graduação, cursos específicos ou até mesmo intercâmbio.

Vamos explicar em detalhes como funciona o consórcio de educação e quem são os mais interessados por esse tipo de serviço.

Como funciona o consórcio de educação?

Assim como a modalidade mais tradicional, pelo consórcio de educação o consumidor entra em um grupo e participa das assembleias, que sorteiam as cartas de crédito. Ele também tem a possibilidade de ofertar um lance pela cota.

A grande vantagem é que, com a carta de crédito, o consumidor pode quitar de uma só vez cursos de longa duração, como faculdade, colégio particular e até intercâmbio.

Por isso mesmo, o consórcio de educação é ideal para os pais que querem investir o quanto antes nos filhos.

É comum vê-los preocupados com o futuro dos filhos logo quando nascem. Com a carta de crédito do consórcio de educação, os pais podem pagar aos poucos para garantir um futuro melhor através da educação.

Assim, quando tiver na idade de fazer uma graduação, curso pré-vestibular ou até mesmo um intercâmbio, o filho pode aproveitar sem problemas de todos os seus benefícios, sem se preocupar com os altos valores das mensalidades.

Qual a melhor forma de vender cota de educação

Antes de tudo, é preciso saber o que os pais ou o próprio estudante desejam adquirir com a cota.

Caso ele escolha faculdade, peça para verificar qual a instituição e o curso desejado. Embora elas revelem a mensalidade, também dão a possibilidade de pagar pelo curso inteiro de uma só vez.

Ao inserir o total da carta de crédito, recomende deixar um valor um pouco mais elevado. Assim, o consumidor tem a garantia de que o curso será totalmente pago pelo consórcio.

Lembrando que, se o valor da carta for maior, o restante pode ser utilizado para pagar as parcelas restantes. Mas, se for menor, o consumidor tem a possibilidade de completar com seus próprios recursos.

No caso de intercâmbio, o consumidor também pode procurar uma instituição de ensino para descobrir o valor total dos custos. Se considerar que o limite da carta de crédito é insuficiente, você pode ofertar mais uma cota, para que tenha acesso a um valor mais elevado. Por exemplo, se quiser uma carta de crédito de R$ 50 mil, você pode fechar o contrato de duas cotas de R$ 25 mil cada.

Com toda a flexibilidade do consórcio, o consumidor tem à disposição uma forma inteligente de aplicar o seu dinheiro, com a finalidade de investir na própria educação, na educação dos filhos ou na educação de algum membro da família.

Posts Relacionados