O que é Cidadania Financeira?

O que é Cidadania Financeira?

Cidadania Financeira é o exercício de direitos e deveres que permite ao cidadão gerenciar bem seus recursos financeiros.

Além da educação financeira, o desenvolvimento da cidadania financeira se dá por meio de mais três contextos: inclusão financeira, proteção ao consumidor de serviços financeiros e participação no diálogo sobre o sistema financeiro. Ou seja, ser cidadão financeiro inclui essas quatro condições básicas.

Educação financeira

É ter a oportunidade de melhorar sua compreensão sobre produtos, conceitos e riscos financeiros. Além disso, por meio de informação, instrução ou aconselhamento objetivo, desenvolvem a habilidade e confiança necessárias para se tornarem mais cientes dos riscos e oportunidades financeiras. E também para fazer escolhas baseadas em informação, saber onde procurar ajuda e realizar outras ações efetivas que melhorem o seu bem-estar financeiro.

Inclusão financeira

É ter acesso efetivo aos seguintes serviços financeiros providos por instituições formais: crédito, poupança (entendida em termos amplos, incluindo contas transacionais), pagamentos, seguros, previdência e investimentos.

Proteção ao consumidor

É ter acesso a informações de qualidade nos sites eletrônicos das instituições. Isso é importante não apenas para proteger os indivíduos que já estão integrados a ele, mas também para gerar confiança nos que ainda estão à sua margem. No caso das pessoas de menor renda, essa proteção é vital, pois, frequentemente, possuem limitada experiência financeira formal e níveis mais baixos de instrução. Sem medidas protetivas básicas, consumidores inexperientes ficam mais vulneráveis a vendas abusivas, práticas ilegais e contração de serviços, especialmente de crédito, que podem ser inapropriados.

Participação

É ter acesso a canais para participar do debate sobre o funcionamento do sistema financeiro.

Confira um resumo desses contextos no infográfico a seguir:

Cidadania Financeira: Articulação Institucional

O Banco Central reconhece que os passos rumo à cidadania financeira não são dados sozinhos. Por isso, a autoridade monetária, que é quem fiscaliza e regulamenta o Sistema de Consórcios, busca fomentar e participar de iniciativas e debates que reúnam os principais atores envolvidos no assunto, como instituições financeiras, órgãos de governo e entidades do terceiro setor. Entre esses grupos está a ABAC, que participa do programa Agenda BC#, ao qual a Certificação para Profissionais de consórcios (PCA-10), oferecida pela entidade, está alinhada.

Fonte: ABAC

chat Eva