Tipos de carros: escolha o seu

Tipos de carros: escolha o seu

Desde que o automóvel chegou ao Brasil de vez, tornou-se uma paixão nacional. Muito provavelmente seus pais ou avós se lembram do tão sonhado Fusca. Veio a geração seguinte, e logo o Fiat 147 e o famigerado Gol quadrado passaram a integrar parte do imaginário do trabalhador brasileiro.

O consórcio tem parte importante nessa história. Afinal, foi em meados dos anos 1950 que funcionários do Banco do Brasil se reuniram para dar a possibilidade de todos os integrantes comprarem um carro e formarem um único fundo. Com a ampla adesão, não demorou para que as fabricantes e as concessionárias começassem a oferecer o consórcio como possibilidade em uma época em que o acesso ao crédito era bem mais difícil.

Com o consórcio, mais pessoas puderam realizar o sonho de comprar o primeiro automóvel, elevando seu padrão de vida sem ter que se comprometer com um alto valor de dívida.

Muitas décadas se passaram e as coisas foram mudando. Atualmente, por exemplo, fala-se em não precisar mais ter posse do seu veículo com a economia colaborativa - para muitas pessoas vale mais a pena contar com o serviço de motoristas de aplicativo, por exemplo, do que investir em um novo modelo de carro.

Ainda assim, o carro se mantém como uma paixão nacional que só se fortalece. Pesquisa recente da plataforma Mercado Livre mostrou que, mesmo em tempos de pandemia, o brasileiro continua com vontade de comprar novos veículos. Só em 2021 houve um aumento de 54% na intenção de compra de um carro zero km comparado ao ano passado. E os seminovos acompanham o movimento crescente, com aumento de 20% na procura comparado ao mesmo período do ano anterior.

Se antes as opções de compra eram restritas, seja por não haver montadoras o suficiente para a produção em massa de modelos em nosso país, pela dificuldade de acesso ao crédito ou até mesmo por falta de demanda, atualmente existem diversos modelos de carro, para todos os gostos possíveis.

Neste post, iremos apresentar todos os tipos de carros que você pode comprar, para ter uma boa decisão na hora de colocar o próximo modelo em sua garagem. Confira.

Hatch

O modelo hatch por muitos anos se caracterizou como o tipo de carro mais vendido do país - algo que se sustenta até hoje, já que o Chevrolet Onix se destaca como o carro mais vendido em nosso mercado.

Conhecido como o modelo mais básico de carro, o hatch tem seu bagageiro acoplado à cabine, o que acaba dando pouco espaço para o porta-malas, por exemplo.  

Para muitas pessoas, o hatch acaba sendo o modelo de entrada, porque costuma ser mais econômico, menos pesado e com preço mais acessível. Por ser mais compacto, acaba sendo mais fácil de estacionar e possui valores mais em conta de IPVA, por exemplo.

Seus modelos variam de motores 1.0 até modelos 2.0, que são bem mais potentes - considerando o tamanho e o peso do carro.

Por mais que o hatch seja visto como um modelo de entrada, existem variações. Carros como Fiat Mobi e Volkswagen Up, por exemplo, podem ser uma boa opção de entrada por seus baixos valores. Mas, quem busca mais conforto e potência também pode investir em hatches mais robustos, como Volkswagen Polo, Chevrolet Cruze ou Ford Focus, por exemplo.

Entre outras vantagens, o hatch possui manutenção mais barata que as demais categorias e um baixo índice de desvalorização, por dois motivos: por seu valor menor e pela maior procura de pessoas por modelos desse tipo.

Entre as desvantagens, porém, o hatch acaba oferecendo menos conforto que os demais modelos (pois é, fica mais apertado levar uma boa quantidade de pessoas com seu espaçamento interno) e possui pouco espaço de porta-malas.

Acaba sendo o modelo preferido para pessoas solteiras ou que procuram um carro mais para trabalhar e realizar afazeres diários do que qualquer outra coisa.

Sedan

É comum que os modelos hatch tenham um equivalente sedan. Ford Ka, por exemplo, conta com um modelo sedan; o HB20, sempre que é repaginado, tem seu design aplicado ao modelo HB20S; até mesmo os clássicos possuem esse tipo de equivalência, vide a trajetória do Gol e do Voyage, da Volkswagen.

O sedan é um modelo que apresenta mais espaço interno para o motorista e os passageiros, principalmente com o maior espaço nos eixos entre as rodas traseira e dianteira. O porta-malas também se destaca em modelos desse tipo: por conta da mudança considerável na carroceria, eles são maiores e mais espaçosos, permitindo transportar maior quantidade de itens durante as viagens.

Outro ponto de destaque dos sedans é sua potência. Na maior parte das vezes, eles contam com motores mais fortes, garantindo mais velocidade, estabilidade e desempenho. Também possuem uma direção mais privilegiada, dando uma visão mais ampla da avenida ou estrada.

Como desvantagens, porém, os sedans são mais difíceis de estacionar, podem consumir mais combustível, por conta do tamanho da carroceria ou sua potência e apresentam preços mais elevados que categorias como o hatch, por exemplo.

O sedan foi uma categoria que evoluiu bastante com o passar dos anos - tanto que conta com três submodelos:

  • Sedan compacto: geralmente são os modelos de entrada nas categorias de sedan. Eles apresentam uma diferença considerável no espaçamento dos eixos e tamanho das carrocerias comparados aos hatches, mas são mais básicos, menos potentes e nem tão confortáveis quando comparados aos sedans maiores. Entre os carros que se encaixam nesta subcategoria, temos o Ford Ka Sedan, o Hyundai HB20S, o Toyota Yaris, Volkswagen Voyage, entre outros.
  • Sedan médio: são modelos maiores que os sedans compactos e apresentam mais conforto, maior espaçamento interno, maior espaço nos eixos e até mesmo um porta-malas mais espaçoso. É verdade que acabam sendo mais caros que os sedans compactos, mas porque apresentam uma série de itens e opcionais que o tornam mais potentes e confortáveis. Entre os modelos de sedan médio no mercado nacional se destacam o Fiat Cronos, Volkswagen Virtus, Toyota Corolla e Honda Civic.
  • Sedan premium: trata-se da categoria mais luxuosa entre os sedans. Embora sejam veículos que certamente custam mais que R$ 150 mil em média, existe uma grande variedade de sedans premium. Do já tradicional Volkswagen Passat ou o robusto Ford Fusion até os modelos mais premium de Audi, Mercedes-Benz e BMW, por exemplo, que são referências em sedans de luxo, os modelos premium agradam bastante os executivos e contam com uma série de itens e tecnologias que o tornam agradáveis de dirigir, extremamente confortáveis e com uma potência invejável para longas viagens na estrada.

SUV (Utilitário esportivo)

Nos últimos anos, os SUVs caíram no gosto do brasileiro. Este tipo de carro tem por característica sua robustez, maior conforto e espaçamento interno e, dependendo do modelo, até mesmo capacidade para transportar mais pessoas (existem SUVs com até 8 lugares, por exemplo).

Quem dirige SUV acaba tendo uma experiência diferente dos carros de passeio tradicionais, já que sua altura é maior, contribuindo para menor absorção do impacto das vias.  

Para se ter uma ideia, o SUV hoje representa 32,7% do mercado de automóveis zero km vendidos no Brasil, segundo dados de 2020. Apesar dos hatches ainda liderarem as vendas (com 40% do total do mercado), ao longo de 2021 os SUVs devem consolidar sua presença nas garagens brasileiras: a projeção é que sua participação atinja 40% do mercado total em 2021.

Embora o conforto seja uma de suas maiores vantagens, os SUVs acabam consumindo mais combustível que os hatches e sedans, sem falar nos valores elevados e até mesmo na dificuldade que geram para manobra em pequenos espaços.

Com sua crescente participação no mercado nacional, os SUVs começaram a ser subcategorizados, para atender à alta procura por seus modelos. Confira:

  • SUV compacto: são os modelos que mais têm crescido no mercado nacional. Modelos como Jeep Renegade e Volkswagen T-Cross, por exemplo, são alguns dos mais procurados pelos consumidores. Eles são menores do que os SUVs tradicionais, servindo como uma porta de entrada para a categoria como um todo. Por conta disso, costumam ser os mais acessíveis entre os utilitários esportivos, sem falar que abrangem uma boa parte do mercado. Existe uma série de modelos compactos de SUV, incluindo Volkswagen Nivus, Caoa Chery Tiggo 2, Chevrolet Tracker, Renault Captur, Citroen C4 Cactus, entre muitos outros.
  • SUV médio: estes modelos são maiores e mais robustos, aproximando-se do estilo ‘tradicional’ de SUV que começou a se popularizar nos anos 1980 e 90. O espaço entre os eixos é maior e, no quesito conforto - seja na direção ou na acomodação interna - eles realmente se destacam. No Brasil, esta subcategoria de veículos ganhou um espaço ainda maior por conta de modelos como Jeep Compass e a versão repaginada da Hyundai Tucson, que já foi líder de vendas na categoria no país. Entre outros modelos que se destacam estão o Toyota Corolla Cross, Honda HRV, Ford Territory e Volkswagen Taos.
  • SUV de luxo: esta subcategoria abrange um pouco mais a noção de SUV. Por aqui, se enquadram as SUVs com mais lugares (como Dodge Journey e a versão AllSpace do Volkswagen Tiguan, por exemplo), as SUVs com mais potência (incluindo as modelos X da BMW e GLA, da Mercedes-Benz), sem falar nos modelos de SUV cujo ponto alto é seu design, espaçamento interno e tecnologia - incluindo aí Range Rover Evoke, Porsche Cayenne, Audi Q7, entre outros. Os valores vão a partir de R$ 200 mil em média e, dependendo do modelo, pode até mesmo ultrapassar o valor de R$ 500 mil.  

Picapes

Quem precisa transportar pequenas quantidades de carga ou lidar com caminhos mais complicados pode contar com as picapes disponíveis no mercado.

A maioria dos modelos possuem dois lugares, mas atualmente isso não é mais um problema: é possível escolher facilmente as várias opções de quatro lugares, como Fiat Toro e Renault Duster Oroch, por exemplo.

Assim como os demais modelos, elas podem ser divididas em:

  • Picapes compactas: são modelos que têm tamanhos semelhantes aos hatches e sedans compactos. Embora não sejam tão confortáveis, possuem bom custo-benefício e apresentam boa versatilidade no mercado. Entre os modelos que se destacam estão a clássica Volkswagen Saveiro, Fiat Strada e Chevrolet Montana.
  • Picapes intermediárias: são mais robustas que as compactas, com motores mais bem equipados e mais conforto e espaçamento interno. Entre os modelos intermediários destacam-se Fiat Toro e Renault Duster Oroch.
  • Picapes médias: são modelos que oferecem mais espaçamento entre os eixos, além de uma cabine maior. Geralmente possuem modelos com quatro portas e, dependendo da versão, podem até mesmo ser 4x4 ou com combustível a diesel. Entre os modelos desta subcategoria destacam-se a Chevrolet S10, Ford Ranger e a Toyota Hilux.
  • Picapes grandes: são modelos que se destacam esteticamente por seu tamanho e robustez. Embora consumam mais combustível (na maioria das vezes, a diesel), as picapes grandes geralmente possuem cabine dupla, são 4x4 e têm motores turbo, oferecendo um excelente desempenho em tudo quanto é tipo de estrada. Entre os modelos que se destacam estão a RAM 2500, Volkswagen Amarok e Agrale Marruá.

SW (Station Wagon)

Quem nunca assistiu algum filme da Sessão da Tarde e se deparou com aquelas famílias que possuem um carro largo, que cabem todos os integrantes e uma boa quantidade de bagagens? São os modelos SW, ou station wagon, que costumam ser bem populares no mercado norte-americano.  

O SW é um modelo voltado para a família, com teto mais alto e espaço para cargas variadas. De tanto espaço, até o gato e o cachorro viajam tranquilamente dentro de uma SW.

O Brasil teve um momento interessante de SWs, que ficou popularmente conhecido como as ‘peruas’. Atualmente, porém, com a invasão dos SUVs, carros como Toyota Corolla Fielder e Volkswagen Parati, por exemplo, perderam completamente seu espaço - tanto que nem são mais fabricados no Brasil.

Entre os modelos disponíveis zero km estão a Fiat Weekend (que perdeu seu nome Palio) e o Volkswagen Spacefox. Quem procura modelos com mais espaçamento, potência e conforto pode ir atrás do Volvo V60 e as versões do Audi RS4 e RS6 (que se destaca por sua esportividade). Mas, para isso, claro, precisará desembolsar um valor acima de R$ 200 mil.

Minivan

Adequado para famílias grandes, as minivans têm se repaginado com o passar dos anos. Se antes as pessoas associavam esses modelos aos transportes escolares, atualmente as minivans têm integrado cada vez mais o cotidiano de quem costuma sair com a família inteira para passear pelas cidades e estradas.  

Entre os modelos disponíveis, destaque para o Chevrolet Spin, que se popularizou bastante - contando, inclusive, com opção para 7 lugares. Modelos como Fiat Doblò também continuam populares entre o segmento.

Coupé ou esportivos

Desejado por colecionadores ou para quem gosta de desfilar com modelos que se destacam por sua potência e design, os carros coupé geralmente têm espaço para 2 ou, no máximo, 4 pessoas.  

Um fator marcante dos carros coupé é a inclinação suave da última coluna da capota, deixando um ar de esportividade. São modelos para quem busca novas aventuras e quer desfrutar de funcionalidades robustas, com alta tecnologia e sistemas completos de aceleração, suspensão, frenagem e muito mais. Por isso mesmo, carros desse tipo proporcionam uma experiência única, com preço inacessível para a maioria dos consumidores.

Existem modelos variados de coupé e esportivos no mercado. Porém, mesmo os mais acessíveis começam com valores acima de R$ 100 mil, como Hyundai Veloster e Audi A1, por exemplo. Mas, quem quiser esbanjar mesmo com modelos dessa categoria, podem ir atrás de Porsche 911 ou qualquer modelo de Ferrari ou Lamborghini. São modelos ultrapotentes, que podem ter até 700 cavalos - mas podem custar mais de R$ 1 milhão.

Conversíveis

Em muitos casos, os modelos esportivos possuem suas versões conversíveis. Eles são direcionados para um público mais aventureiro, que gosta de pegar estrada e segue um padrão de vida totalmente arrojado.

Há alguns anos, era possível encontrar modelos mais básicos com capota conversível. Porém, por se tratar de um segmento muito específico, as montadoras direcionaram os conversíveis para um público mais elitizado - tanto que os modelos zero km mais ‘baratos’ começam a partir de R$ 250 mil, com o Mini Cooper S Cabrio.

Dentre os conversíveis disponíveis no mercado, destacam-se a BMW Z4, Camaro Conversível, Porsche Boxster, Mercedes-Benz C300 Cabriolet e a repaginada versão do Porsche 911 Carrera versão S, cujo valor ultrapassa R$ 800 mil.  

Como investir no seu próximo carro

O carro é uma paixão nacional há muito tempo e serve a todos os tipos de gosto. Quem procura ter um modelo para trabalhar e rodar bastante, por exemplo, pode contar com as opções hatch. Mas, se o objetivo é sair mais com a família e pegar a estrada, investir em modelos mais confortáveis, como SUVs e sedans, por exemplo, pode valer mais a pena.

Independente do modelo que desejar, você sempre pode contar com o consórcio para o seu próximo automóvel.

Com o consórcio, você não precisa se preocupar com o valor de entrada ou em pagar juros nas mensalidades. Trata-se da melhor forma de investir em modelos seminovos ou zero km de forma parcelada.

Ao fazer o consórcio, você não sai com o bem na hora. Trata-se de uma modalidade de autofinanciamento, em que você seleciona o valor da carta de crédito e a quantidade de mensalidades que deseja pagar, sempre de acordo com os seus rendimentos mensais.

Tudo isso é possível por conta da simulação de consórcio. Para definir o valor a se pagar pelo consórcio de automóveis, o primeiro passo é selecionar uma administradora com autorização do Banco Central do Brasil (Bacen) para operar - como a Embracon, por exemplo, que possui mais de 30 anos de experiência realizando sonhos por meio do consórcio.

Ao ter uma noção do modelo que deseja comprar, você já pode prosseguir com a simulação. Basta inserir o valor do carro que deseja como carta de crédito ao selecionar o consórcio de automóveis.  

Depois, você pode selecionar a quantidade de parcelas que deseja pagar. Em seguida, você já tem a informação de quanto pagaria pela mensalidade, com acréscimo da taxa de administração, que remunera a empresa de consórcio por todos os serviços realizados, como formação dos grupos, entrega das cartas de crédito, entre outros, e o fundo de reserva, que impede que a inadimplência de alguns integrantes coloque as contemplações em risco.

Você pode simular o seu consórcio de automóveis quantas vezes quiser. Caso o valor da carta de crédito para automóveis seja insuficiente, você pode investir em mais de uma cota.

Depois de concluir a simulação, um especialista de consórcio entra em contato, para tirar todas as dúvidas. O valor da mensalidade não pode ser maior que 30% dos seus rendimentos mensais. No caso de investir em mais de uma cota, a soma de todos os valores não pode ultrapassar os 30%. Essa medida é tomada pelas administradoras para evitar inadimplência, que pode colocar as contemplações em risco nos grupos.

Após assinar o contrato de adesão, o próximo passo é participar das assembleias do seu grupo. Você pode ser contemplado por meio do sorteio ou com a oferta de um lance, que é um valor maior que cada consorciado pode oferecer com o objetivo de ser contemplado com antecedência. No caso de consórcio de automóveis, você também tem a opção do Lance Troca de Chaves, que permite a troca do seu usado por um seminovo ou zero km como oferta de lance.

Como deu para perceber, são múltiplas as vantagens de um consórcio. Faça uma simulação agora mesmo e invista o quanto antes no seu próximo automóvel.

Simular Consórcio
chat Eva